Gás Natural Veicular

gas 009.jpg

Economia, menos poluição e praticidade. Esses são alguns dos benefícios do Gás Natural Veicular (GNV), que segundo o balanço da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), vem crescendo a cada ano no mundo todo. Somente no Brasil, durante o mês do abril, o consumo cresceu em 16,4% em comparação ao mesmo mês no ano passado.De acordo com informação divulgada pelo Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), as conversões de veículos para o uso de GNV cresceram 41% em 2006. Ainda segundo o IBP, a frota brasileira movida a GNV agora é de 1 milhão 277 mil veículos. Só em 2006 foram realizadas 225 mil conversões. Montadoras como General Motors, Volkswagen, Ford e Fiat já oferecem no mercado brasileiro algumas opções com kit GNV de fábrica, atestando sua eficiência e confiabilidade.
Um balanço divulgado pela Abegás revela que no mês de abril foram consumidos 6,9 milhões de metros cúbicos diários de GNV. O consumo no segmento industrial cresceu 2,14% nos primeiros quatro meses de 2007. No segmento residencial a expansão foi de 2,04%, e no comercial, de 3,23%. A co-geração consumiu 2,64% a mais na comparação com o ano passado. Nos últimos 12 meses, a rede de distribuição de gás natural cresceu 11,1% e atingiu a marca de 14.931,4 quilômetros.
Esses dados mostram que a conversão dos veículos está se tornando uma prática mundial e crescente. Além dos benefícios ao meio ambiente, já que o gás natural emite menos poluentes, a economia é outro fator preponderante para essa tendência aumentar ainda mais.
Na Região da Baixada Santista já existem três postos credenciados e preparados para realizarem o abastecimento desses veículos convertidos. São mais de 2 milhões de carros já convertidos para GNV.
Para Bruno Migliaccio, gerente técnico da Fernando Pneus, que está há cinco ano no mercado, atualmente a conversão está acessível e viável para qualquer pessoa. “O primeiro passo é pedir uma autorização do delegado do Detran, depois fazer a conversão, passar por uma inspeção do Inmetro e transferir o documento para gás natural”. Ele lembra ainda que para os motoristas que convertem seus veículos é dado um desconto de 25% no valor do IPVA. “Isso é um incentivo dado pelo governo. O custo-benefício vem atraindo cada vez mais adeptos ao sistema de gás, a procura aumentou cerca de 60%”, conta. O preço médio do metro cúbico gira em torno de R$ 1,45 e um carro de porte grande comporta um cilindro de 25m3, mantendo a autonomia de 270 quilômetros.

Conversão

A instalação do kit GNV no veículo é cercada de normas e legislações que asseguram a segurança dos usuários. Os produtos fabricados precisam atender uma série de normas técnicas e ambientais; os instaladores credenciados são auditados periodicamente por órgãos competentes (Inmetro/Ipem) e devem possuir o Certificado de Registro do Instalador (CRI) válido, o que pode ser consultado no site do Inmetro (www.inmetro.gov.br/infotec/oficinas/ ). O veículo que recebe o kit GNV deve também passar obrigatoriamente por uma inspeção de segurança veicular, garantindo que o kit foi instalado de forma correta, dentro das normas de segurança.
Ao contrário do que muitos imaginam, o cilindro de armazenamento do gás é extremamente resistente e não se rompe em colisões de grande impacto. O sistema consiste na instalação do sistema de gás (que inclui tubulações extras, conjunto de válvulas e a parte eletrônica) e do cilindro de armazenagem, sem remover qualquer equipamento original do veículo.
Após a instalação do kit de conversão o veículo amplia a sua autonomia, pois o veículo mantém o seu tanque original e acrescenta o cilindro.
O cilindro de GNV pesa em torno de 60 kg. Geralmente sua instalação é feita no porta-malas do veículo, havendo assim, perda de espaço para a bagagem. A conversão de veículos tem um custo entre R$ 1.500,00 e R$ 3.000,00.
Somente oficinas credenciadas pelo INMETRO podem fazer a instalação do kit de conversão. Estas oficinas fornecem o “Certificado de Homologação de Montagem” do kit. Este documento atesta que todas as normas técnicas estabelecidas pela ABNT foram cumpridas permitindo que o veículo seja legalizado junto ao Departamento de Trânsito (Detran) local.
Os únicos riscos estão na aplicação do produto e nos serviços de má qualidade, que não têm certificação. “A vistoria do Inmetro é fundamental. É importante escolher uma empresa de conversão que possui o número Certificado de Instalador. (CRI)”, ressalta Bruno.

Obs:
Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente o ponto de vista da Editora, podendo até mesmo ser.


  1. 1 Comentário para “Gás Natural Veicular”

  2. Somos da Prefeitura Municipal de Salto e contratamos veículos para o transporte de estudantes, de todas as idades. Gostaria de saber se é autorizada a instalação de cilindro de gás no interior de uma perua Kombi, para transporte de crianças.

    Agradecemos.

    Por Manoel Nóbrega em fev 2, 2009

Coloque um Comentário