Prefeitura desocupa moradias irregulares em área na Imigrantes | Jornal Vicentino

Prefeitura desocupa moradias irregulares em área na Imigrantes

Artigo   0 Comentário
Espaçamento entre linhas+- ATamanho da Fonte+- Imprimir este artigo
Prefeitura desocupa moradias irregulares em área na Imigrantes

A Prefeitura de São Vicente desocupou, na última terça-feira, barracos construídos de forma irregular às margens da Rodovia dos Imigrantes, no Parque Bitaru. Os moradores já haviam sido notificados sobre a decisão da Justiça. A reintegração de posse originou-se em ação judicial, no ano passado, pela Secretaria do Meio Ambiente.
Para que a desocupação pudesse ser concluída, foram enviados ao local 30 profissionais da Codesavi, além de 18 guardas municipais e outros 45 policiais militares. Os primeiros barracos foram derrubados ainda no início do dia e durante a desocupação alguns barracos chegaram a ser incendiados. O Corpo de Bombeiros foi acionado e rapidamente as chamas foram controladas. Ninguém ficou ferido.
Á área, próxima a Avenida Luís Pimenta, é considerada não edificável por estar no recuo da rodovia e nas margens do rio vicentino, sendo invadida no ano passado, onde foram construídos barracos. O local onde foram construídos os barracos pertence majoritariamente à União e, minotariamente, à Ecovias, e está inserido em uma área de preservação ambiental (manguezal).
A Secretaria de Habitação (Sehab), por sua vez, informa que foram listados 40 barracos na área, sendo que todos foram demolidos. Técnicos da CPFL também estiveram no local, cortando as ligações elétricas.
A reintegração estava marcada para o último dia 27, mas a Prefeitura adiou por 15 dias para dar mais tempo para os moradores deixassem as moradias irregulares.
A Prefeitura informou que todas as famílias foram cadastradas e encaminhadas ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e cada caso será tratado individualmente pela Sehab e pela Secretaria de Assistência Social (Seas). Foram disponibilizados três caminhões para o transporte dos bens pessoais. O Município reservou ainda um local para guardar os objetos por um período de até 30 dias.

Artigo   0 Comentário

Clique na capa e veja a versão impressa

Versão Digital


EDIÇÕES ANTERIORES - CLIQUE AQUI



Enquetes

Qual a seção do Jornal Vicentino que você mais gosta?

Ver Resultados